Experimento Assento Incômodo gera polêmica na Cidade do México

 

Milhares de mulheres no mundo todo sofrem ou já sofreram algum tipo de abuso sexual nos transportes públicos e o metrô da capital mexicana tem uma reputação ruim quanto às condições a que suas passageiras são submetidas. Em 2014, uma pesquisa da empresa YouGov sobre assédio no transporte público em todo o mundo trouxe o metrô da Cidade do México como o pior em termos de assédio verbal e físico.

Para mudar esse cenário, a Companhia de Metrô da cidade teve a ideia de mostrar como é “sentir na pele” esse problema e criou a campanha #NoEsDeHombres. Instalou um assento que simula o corpo de um homem, com um pênis, em um assento que só podem ser ocupado por homens. O experimento, realizado pela Companhia de Metrô, foi gravado em vídeo. Segundo um dos vídeos, 9 entre 10 mulheres já foram assediadas sexualmente nos ônibus ou trens metropolitanos da Cidade do México.

Um vídeo viral foi feito para demonstrar a reação dos homens, que estranharam o assento e se recusavam a sentar. Alguns tentaram cobrir o assento para sentar, porém logo se incomodavam e se levantaram. No chão uma mensagem que explicava parte do objetivo da campanha: “É incomodo viajar dessa maneira, mas nem se compara com a violência sexual que as mulheres sofrem em seus trajetos diários”.

Confira o vídeo:

Em uma outra ação, da mesma campanha, eles usaram uma câmera para filmar os glúteos dos homens, que esperavam os trens do metrô na plataforma, e passavam as imagens nos monitores da estação.

Também foi feito um vídeo viral, onde mostra o constrangimento dos passageiros, e no final a mensagem da campanha: “Isso é o que as mulheres sofrem todos os dias”. Confira:

Um dia especial para quem torna todos os dias especiais

Antes de mais nada, vamos deixar claro que este post é em homenagem as mais perfeitas criaturas deste planeta: as mulheres. Hoje é o Dia Internacional da Mulher, uma data que carrega uma história triste, mas que lembra a luta de mulheres trabalhadoras no século XIX.

A data foi criada em virtude do contexto da Segunda Revolução Industrial, quando as indústria adotaram a mão de obra feminina em massa. As condições de trabalho eram péssimas e perigosas, ocasionando frequentes protestos por parte dos trabalhadores. Em um destes protestos, em Nova York, um grupo de operárias têxteis entraram em greve ocupando a fábrica, reinvindicando a redução do horário de trabalho que era superior a 16 horas por dia. Estas operárias foram fechadas na fábrica, onde houve um incêndio e cerca de 130 mulheres morreram queimadas.

Mas foi só em 1910, numa conferência internacional de mulheres, que a data 8 de Março foi estabelecida como Dia Internacional da Mulher para homenagear estas operárias que morreram cruelmente na luta por maior dignidade e respeito.

Para homenageá-las, o Grito das Cinco resolveu divulgar uma campanha internacional que fala do poder das palavras para acabar com a violência. Trata-se da campanha Peace Talks (Conversas Pacíficas, traduzindo), divulgado pela ONG Internacional Alert.

O video mostra, em câmera lenta, uma discussão entre dois homens. Ao decorrer do tempo, os ânimos vão se exaltando, e é nesta hora que a fúria “explode”. Um dos homens começa a proferir munições de armas de fogo, enquanto que o outro retruca com palavras, vencendo a disputa. No final, fica a mensagem: “Nós acreditamos que a violência pode ser combatida com palavras significativas. Converse pacificamente.”

Fica a dica e a torcida para que episódios como o de 1857 não sejam repetidos nunca mais. E que não precisemos de um dia para homenagear as mulheres, que merecem nossa admiração todos os dias do ano. Parabéns novamente, guerreiras!

A criação é da HMDG.

Anistia Internacional: Celebrando 50 anos de luta contra a violência

Já falamos muito das campanhas e ações criadas pela Anistia Internacional e, este ano, o movimento global completa 50 anos. Com mais de 3 milhões de voluntários, membros e ativistas em mais de 150 países, a Anistia Internacional tem muito o que celebrar.

Para comemorar a data importante sem deixar de passar as mensagens sempre vistas nas peças criadas, a Anistia Internacional da Alemanha resolveu divulgar anúncios impressos que misturam seus temas comuns com referências festivas, mantendo sempre as cores do movimento (preto e amarelo).

As peças mostram tanques de guerra, armas de fogo e a violência de modo geral, enfeitados com elementos comuns em celebrações: confetes, serpentinas e língua de sogra. Todos os anúncios vêm acompanhados do texto: “Estamos celebrando 50 anos de luta contra a violência, tortura e execuções.”

A criação é da TBWA.

Uma vida transtornada na visão das crianças

Depois de crescer, as pessoas aprendem a distinguir o certo do errado. Acontece que esta distinção é formada a partir da educação e o modo de criação que tivemos. As crianças têm um alto poder de absorção de conteúdo, por isso muitos apelidam seus cérebros de “esponjas”.

Justamente por conta desta absorção fácil de tudo que acontece ao seu redor, as crianças devem ser educadas de maneira correta. Pensando nisso, o governo da Escócia divulgou uma campanha composta por três videos, ilustrando situações de nervosísmo ou abandono que poderíam ser evitadas.

Tudo isto visto da visão da criança, captando o que ela vê, ouve e diz. São situações infelizmente comuns no mundo todo onde, agora, podemos enxergar e analisar o que se passa na cabeça de uma criança em relação a atitudes que tomamos. No final de cada peça, é transmitida a mensagem: “Agora que mostramos para você como é, por favor, registre-se para ajudar.”

A criação é da Newhaven.

Denuncie a violência doméstica e não deixe que continue disfarçada

Amanhã, 25 de novembro, é o dia internacional de luta contra a violência à mulher. Para incentivar as mulheres francesas a denunciar violências domésticas, a FNSF (Fédération Nationale Solidarité Femmes – Federação Nacional de Solidariedade da Mulher, traduzindo) está divulgando a campanha Violência Escondida.

Os anúncios, criados pela W Atjust, ilustram homem comuns que possuem um aspecto diferente apenas nas mãos. As famosas lâminas de Freddy Krueger, as garras peludas de um lobisomem, e até mesmo a mão verde do Incrível Hulk, foram utilizadas para ilustrar esta violência “disfarçada”.

O texto que acompanha o anúncio convoca o leitor: “Vamos denunciar a violência escondida”, e assina oferecendo um número para efetuar suas denúncias na França.