Movimento Maio Amarelo

 

Com certeza alguém já foi impactado este mês de maio por algum relógio de rua, painel eletrônico da CET ou spot na rádio divulgando o Maio Amarelo – Atenção pela Vida com um laço amarelo. O Movimento Maio Amarelo,  uma ação coordenada entre o Poder Público e a sociedade civil, nasce com a proposta de chamar a atenção da sociedade para o alto índice de mortes e feridos no trânsito em todo o mundo. É um movimento internacional de conscientização para redução de acidentes de trânsito e a cor amarela foi escolhida em alusão à sinalização de advertência, utilizada nos semáforos.

 

 

 

 

A intenção é colocar em pauta o tema segurança viária e mobilizar toda a sociedade, envolvendo os mais diversos segmentos como órgãos de governos, empresas, entidades de classe, associações, federações e sociedade civil organizada para efetivamente discutir sobre o tema, engajar-se em ações e propagar o conhecimento, abordando toda a amplitude que a questão do trânsito exige.

O movimento surgiu depois que a ONU decretou em 11 de maio de 2011 o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito” com a intenção de poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020. Com isso, o mês de maio se tornou a referência mundial para o balanço das ações em torno da segurança viária que o mundo inteiro realiza.

A marca que simboliza o movimento, o laço na cor amarela, segue a mesma proposta de conscientização já idealizada e bem-sucedida, adotada pelos movimentos de conscientização no combate ao câncer de mama, ao de próstata e, até mesmo, às campanhas de conscientização contra o vírus HIV – a mais consolidada nacional e internacionalmente. Portanto, a escolha proposital do laço amarelo tem como intenção primeira, segundo o site do movimento, “colocar a necessidade da sociedade tratar os acidentes de trânsito como uma verdadeira epidemia e, consequentemente, acionar cada cidadão a adotar comportamento mais seguro e responsável, tendo como premissa a preservação da sua própria vida e a dos demais cidadãos”.

 

O movimento dispõe, no site, diversas peças de comunicação para download, como banners, peças para redes sociais, vídeos, outdoors, wallpapers, entre outros. Confira o vídeo: