Samsung Safety Truck

Ação da Leo Burnett Buenos Aires para a Samsung/Argentina alia tecnologia à segurança nas estradas. Na Argentina, a cada hora morre uma pessoa na estrada tentando ultrapassar caminhões.
Para diminuir esse número, a Samsung colocou nos seus caminhões quatro telas que facilitam a visão do motorista para a ultrapassagem. Genial!

Veja o video:

Jogadores doam escudo do Vitória em campo

O time de futebol Vitória, depois da ação com a camisa preta e branca (sem o vermelho) para incentivar a doação de sangue, novamente abraça a causa e agora, em parceria com a ABTO (Associação Brasileira de Transplante de Órgãos), fez o escudo do uniforme em velcro para que os jogadores titulares doassem o escudo ao reserva quando fossem substituídos.

Além disso, no início do jogo, os reservas ficaram enfileirados ao lado dos titulares exibindo a seguinte mensagem aplicada no lugar do escudo do time: “Seja um doador de órgãos”.

A campanha, assinada pela Leo Burnett Tailor Made, conta com anúncios, faixa de campo, spot, direct, ações digitais, dentre outros.

O seu sangue salva vidas

Já divulgamos aqui diversas campanhas incentivando a doação de sangue. Muitas apelam para o lado racional; outras para o emocional; e algumas – como a campanha Blood Relations – “simplesmente” unem dois povos em guerra em prol deste ato singelo, porém honroso.

Sem perder a dose de criatividade para atrair o máximo de doadores possível, a Cruz Vermelha na Colômbia divulgou três anúncios impressos que ilustram exatamente a transfusão de sangue entre o doador e aquele que terá sua vida salva.

Os anúncios brincam com nomes contidos em outros nomes e aproveitam os tubos de transfusão para desenhar o caminho do sangue de um nome para outro. O nome Alex, por exemplo, ajuda a compor o nome de Alexandra, que receberá seu sangue.

Abaixo da belíssima arte há a pequena frase que ajuda no entendimento geral da peça: “Uma vida salva outra”. As peças recebem a assinatura “Doe Sangue”, e foram criadas pela Leo Burnett.

Somos 7 bilhões, para o bem ou para o mal

Campanhas em prol da sustentabilidade são temas recorrentes por aqui. Diversas ideias diferentes já foram lançadas nas mais diversas mídias com o intuito de acordar o leitor para os problemas recorrentes no mundo em função do uso exagerado e incontrolável das matérias-prima disponibilizadas pela natureza.

Em quase sua totalidade, as campanhas sobre este tema evidenciam o lado benéfico em reciclar, reaproveitar, reutilizar e repensar nossas atitudes. Contudo, ainda há muito a se fazer em prol do planeta, provando que as mudanças de atitude não estão partindo de todos.

Para deixar mais evidente o poder da interferência humana, a Caos Sustentabilidade – organização portuguesa em prol do desenvolvimento sustentável – resolveu divulgar anúncios bastante ilustrativos, onde é possível exengar os dois lados em ser, ou não sustentável.

Cada anúncio apresenta uma qualidade positiva e uma consequência negativa para as atitudes tomadas, ou deixadas de lado. Uma das belíssimas artes passa as mensagens: “Se cada pessoa plantar uma árvore, podemos ter de volta três vezes mais a quantidade destruída na floresta amazônica.” ao mesmo tempo em que divulga o alerta: “Se todos nós usarmos folhas de papel de forma abusiva, 49 bilhões de árvores podem ser cortadas por ano.” Os anúncios são concluídos com a assinatura: “Agora somos 7 bilhões. Para o bem, ou para o mal.”

A criação é da Leo Burnett.

Lembre-se da diversão e esqueça o vício nos jogos

Tabaco, álcool, drogas em geral e até mesmo comida. Tudo isto pode se tornar um vício e, se tratando de um vicio ruim, deve ser tratado. O que muitas pessoas esquecem, ou simplesmente não sabem, é a respeito do vício nos jogos. O que sempre foi diversão para muitos, acaba destruindo a vida de quem aposta tudo o que tem, e o que não tem, em qualquer tipo de jogo.

Para chamar a atenção de seu público-alvo, a Ray of Hope (Raio de Esperança, traduzindo) resolveu divulgar três anúncios em Singapura, convocando os viciados no jogo a procurar ajuda e tratamento. Com a frase: “Encontre-nos antes que eles encontrem você. Deixe o ‘Ray of Hope’ ajudar você nos problemas com jogos”, os anúncios ilustram os personagens das cartas de baralho K (rei), Q (dama) e J (valete) visivelmente alteradas e transtornadas.

Os personagens das cartas travam uma “luta” contra o fio do telefone que os segura, fazendo alusão a briga do jogo contra o seu ato de ligar e se defender deste vício.

A criação é da Leo Burnett.