Os preconceitos envolvendo portadores de AIDS

Quando os primeiros casos de HIV foram descobertos nos EUA, Haiti e África Central em 1977 e 1978, o vírus logo foi definido como AIDS e classificado como uma nova síndrome. A partir de então, o preconceito – aliado ao medo – contra pessoas portadoras da doença, só cresceu.

O receio em ser contaminado é tanto que muita gente desfez amizades, rompeu casamentos, demitiu funcionários e bloqueou qualquer tipo de contato com os conhecidos que se descobriram portadores do vírus. Todo esse afastamento, impulsionado pela falta de informação, acabou isolando aqueles que mais precisam de apoio.

Com o passar do tempo muitos mitos a respeito dos modos de contágio da doença foram caindo, porém ainda há muitas pessoas que se sentem excluídas do meio social por revelarem-se HIV positivo.

Foi pensando em assegurar e acolher os portadores do HIV que o Grupo Vhiver – ONG brasileira fundada com o intuito de criar espaços de convivência e troca de experiências entre pessoas que vivem e convivem com o HIV/AIDS – resolveu divulgar um video com depoimentos de diversas pessoas com doenças diferentes.

A princípio parece estranho ouvir um homem dizer que já foi demitido três vezes por ser alérgico. Contudo, os depoimentos logo se tornam significantes quando a assinatura da campanha entra em cena: “E se o mundo tratasse outras pessoas doentes como tratam os portadores de HIV positivo?”

Para se informar corretamente sobre a AIDS e seus meios de transmissão, acesse o site da ONG, ou o portal do governo criado para falar sobre AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis.

A criação é da Filadélfia.

Não aceite convite de estranhos na vida real

Já mostramos aqui de uma campanha global da Red Cross (Cruz Vermelha). Desta vez, a Red Cross da Polônia lançou uma campanha voltada ao público jovem, para falar sobre AIDS e como é fácil se contaminar.

Como base para a comunicação, a campanha retrata funções básicas do Facebook, como adicionar uma pessoa, para atingir a linguagem jovem. O video passa a mensagem de que a vida real não é igual ao Facebook, e sugere: “Não aceite convites de estranhos.”

A criação é da Saatchi & Saatchi.

Descubra sua sorte no amor e ganhe uma camisinha

Para lembrar os jovens de Taiwan sobre os riscos do sexo desprotegido e alavancar as vendas, a fabricante de camisinhas Durex criou uma nova campanha. Em razão de tabus culturais, a distribuição de camisinhas por promotores de rua não era efetiva. Para combater essa barreira cultural, nada melhor do que encontrar uma resposta na própria cultura do país.

Muitos taiwaneses visitam videntes para descobrir seu futuro sobre tópicos como riqueza, saúde e principalmente amor. A ideia da agência OgilvyAction foi criar uma máquina de leitura da sorte apelidada de “Xerud”, ela foi colocada em bares, boates e karaokês onde normalmente as pessoas estão menos inibidas.

A máquina fazia previsões de relacionamentos e dava as pessoas uma amostra de camisinha com dicas sobre como ter uma vida sexual segura. O legal da ação é que além de ter aumentado o número de distribuição das camisinhas ela também colocou em pauta um assunto importante e que deveria ser mais discutido no país.

Pega-pega das DSTs

O INPES é um instituto francês de educação e prevenção na área de saúde. Para conscientizar o público jovem sobre os perigos das DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) eles lançaram uma nova campanha, com criação da agência McCann Paris.

O filme mostra de forma leve e divertida a complexidade dos relacionamentos entre os jovens e de como é fácil ser contaminado neste emaranhado de relações. A assinatura diz: Milhões de pessoas são infectadas por DSTs sem saber.

Com apenas um dedo você pode fazer o teste do HIV

chromeforacause

Nova campanha da AIDES com criação da JWT Paris. O objetivo foi divulgar para o público o teste rápido de HIV, cujo resultado é obtido em apenas 20 minutos.

Um site alegre e colorido foi criado onde o usuário brinca de marcar o ritmo das batidas, tudo isso para passar uma mensagem simples: um dedo é o suficiente para brincar e também fazer o teste do HIV. Para jogar acesse http://www.sexyfingers.org/