Spot no túnel

A Anistia Internacional, organização que trabalha em prol dos direitos humanos, incentivando as vitimas a não se calarem diante da violência, conseguiu quebrar mais um silêncio.

Ação da DM9Rio, acontecendo de forma itinerante em várias cidades do Brasil, em parceria com as principais rádios, quebrou o silêncio nos túneis brasileiros, lugar onde o rádio não pega. A agência conseguiu veicular um spot nos túneis. Para viabilizar o projeto, fizeram uma parceria com as principais emissoras de rádio para aproveitar um espaço específico de suas frequências. Os motoristas ouvirão o spot apenas quando estiverem passando por esses túneis.

A peça traz a seguinte locução: “Interrompemos pela primeira vez o silêncio do seu rádio dentro de um túnel. Estamos aqui porque há mais de 50 anos é contra o silêncio que lutamos. Diante de qualquer caso de opressão ou maus-tratos, não se cale. Junte-se às vozes da Anistia Internacional. www.anistia.org

Suas ações podem ser crime em alguns países

Você já cometeu algum crime? Foi condenado? Talvez você tenha sempre andado na linha e seguido a lei do seu país à risca, mas suas ideologias e suas ações comuns para nós, brasileiros, podem ser considerados crime ao redor do mundo.

E se você pudesse analisar aquilo que fala, faz e pensa, e comparar com leis de vários países para saber se você teria cometido um crime em algum lugar? Foi com um portal interativo que a Anistia Internacional da Nova ZelândiaONG internacional que luta a favor dos direitos humanos – resolveu expor a quantidade de condenações por coisas banais que absurdamente são punidas com agressões, torturas e penas de morte em muitos países.

Ao entrar no site Trial by Timeline, o usuário é instruído a autorizar o sincronismo de sua conta no Facebook. Feito isso, basta aguardar – e ir preparando sua defesa. O site analisa seu perfil na rede social, averiguando tudo que foi postado por você, os eventos que frequentou, e até as fotos que publicou. Tudo pode, e será usado contra você.

No final da análise, surge o resultado na tela. É possível ver que ações você cometeu e aonde estas ações seriam consideradas crime. Também é possível ver que tipo de punição você receberia pelo ato. Já vá se preparando, porque é certeza de já ter cometido um crime no Myanmar simplesmente pelo fato de ter uma conta no Facebook.

Então clique aqui, autorize a sincronia com o Facebook e assista sua(s) condenação(ões). No final de tudo, você pode compartilhar o resultado no Facebook ou Twitter.

Anistia Internacional: Celebrando 50 anos de luta contra a violência

Já falamos muito das campanhas e ações criadas pela Anistia Internacional e, este ano, o movimento global completa 50 anos. Com mais de 3 milhões de voluntários, membros e ativistas em mais de 150 países, a Anistia Internacional tem muito o que celebrar.

Para comemorar a data importante sem deixar de passar as mensagens sempre vistas nas peças criadas, a Anistia Internacional da Alemanha resolveu divulgar anúncios impressos que misturam seus temas comuns com referências festivas, mantendo sempre as cores do movimento (preto e amarelo).

As peças mostram tanques de guerra, armas de fogo e a violência de modo geral, enfeitados com elementos comuns em celebrações: confetes, serpentinas e língua de sogra. Todos os anúncios vêm acompanhados do texto: “Estamos celebrando 50 anos de luta contra a violência, tortura e execuções.”

A criação é da TBWA.

Aplicativo no Facebook junta pedras contra apedrejamento

Técnicas de tortura ou que causem mortes lentas e doloridas fizeram parte da história. Antigamente, muitos artefatos eram criados com o único propósito de causar dor e/ou matar pessoas que cometeram crimes considerados severos para a época. Alguns destes artefatos se tornaram famosos e quase todo mundo conhece: guilhotina, fogueiras, enforcamento, etc.

A maioria dos países superou o ato de condenar um ser humano a morte por algo que fez, mas alguns países ainda adotam a pena de morte, dependendo do ato. Até hoje, de acordo com a lei islâmica Sharia, se uma mulher for acusada de infidelidade, sua sentença é a morte por apedrejamento.

Chocante e, aparentemente ultrapassado, a mesma punição foi dada a Sakíneh Asthiani, uma mulher cuja história ficou conhecida no mundo todo. E, para aumentar o movimento contra apedrajamento, sustentado pela Anistia Internacional da República Tcheca, foi criado uma ação comunitária.

Um aplicativo de Facebook foi desenvolvido, onde as pessoas ajudam a criar um retrato de Sakíneh a partir de um mosaico de pedras. Basta acessar o aplicativo, escolher um tipo de pedra, assinar a petição contra o apedrejamento, e deixar uma mensagem única contra este tipo de punição ainda presente no mundo.

Quanto mais ajudas, mais pedras. Quanto mais pedras, mais nitidez e detalhes no retrato. Para ajudar, e conhecer melhor a história de Sakíneh, basta acessar este link. A criação é da Euro RSCG.