Doe a esperança de um sorriso para crianças com lábio leporino

Você já ouviu falar sobre lábio leporino? Talvez o nome não seja tão comum, mas não é tão difícil encontrar uma criança com esta anomalia genética. Trata-se de uma abertura na região do lábio que ocorre, geralmente, entre a quarta e a décima semana de gestação.

Pouca gente sabe, mas esta anomalia tem conserto. Hoje, graças ao ultrassom, o lábio leporino pode ser diagnosticado antes do parto, permitindo uma cirurgia corretiva logo após o nascimento.

Por ser uma deformidade um pouco assustadora, e altamente perceptível, muitas crianças se escondem e deixam de aproveitar sua infância como qualquer pessoa normal. E foi pensando no bem estar dessas crianças que a ONG sulafricana Operation Smile – encarregada de trazer um sorriso para todas as crianças com lábio leporino – divulgou uma campanha de conscientização para arregadar doações.

Cada uma das três peças impressas conta a história de uma criança com a anomalia. Acompanhada de uma belíssima ilustração, as história retratam pequenas atitutes que estas crianças tomam para desviar o olhar das pessoas para seu defeito no lábio. Veja abaixo a tradução de cada peça, que levam o apelo: “É difícil para uma criança com lábio leporino, ou fenda palatina, encarar o mundo. Com bem pouco você pode ajudar a mudar isso.”

Elvis veste uma meia na mão

Elvis tem um amigo de algodão para manter perto de seu rosto. Ele ajuda a distrair os olhares curiosos e sorrateiros, porque estas espiadas – se forem deixadas – vão se tornar descaradas e com aspecto de pena e dó, e Elvis não suporta isso.

Charlie usa um ponto roxo

O alvo roxo de Charlie ajuda a desviar os olhares para sua cabeça. Este inteligente plano faz com que as pessoas não olhem para baixo. Charlie fará de tudo para manter o olhar das pessoas em sua cabeça. Enquanto encaram o ponto roxo, ele ganha uma boca a menos para esconder.

Sally tem um macaco

Sally não gosta de seu rosto e o esconde em um lugar peculiar. Logo abaixo de seu cabelo de macaco. Deste modo, quando as pessoas encararem seu amigo engraçado, vão se distrair com seu olhar.

A criação é da Saatchi & Saatchi.

O seu sangue salva vidas

Já divulgamos aqui diversas campanhas incentivando a doação de sangue. Muitas apelam para o lado racional; outras para o emocional; e algumas – como a campanha Blood Relations – “simplesmente” unem dois povos em guerra em prol deste ato singelo, porém honroso.

Sem perder a dose de criatividade para atrair o máximo de doadores possível, a Cruz Vermelha na Colômbia divulgou três anúncios impressos que ilustram exatamente a transfusão de sangue entre o doador e aquele que terá sua vida salva.

Os anúncios brincam com nomes contidos em outros nomes e aproveitam os tubos de transfusão para desenhar o caminho do sangue de um nome para outro. O nome Alex, por exemplo, ajuda a compor o nome de Alexandra, que receberá seu sangue.

Abaixo da belíssima arte há a pequena frase que ajuda no entendimento geral da peça: “Uma vida salva outra”. As peças recebem a assinatura “Doe Sangue”, e foram criadas pela Leo Burnett.

Não cubra as marcas de uma injustiça. Denuncie!

É comum hoje em dia diversas video aulas via YouTube. Aulas estas que vão desde coisas simples como aprender a trocar o papel de parede do seu computador, até coisas mais complicadas como aulas de edição gráfica avançada e técnicas de maquiagem.

Falando sobre as aulas de maquiagem, não podemos deixar de citar Lauren Luke – mulher inglesa que já conta com mais de 440 mil assinantes em seu canal no YouTube, e um total acima de 126 milhões de visualizações.

Aproveitando a fama de Lauren, a ONG britânica Refuge – que luta a favor das mulheres e crianças contra a violência doméstica – resolveu mostrar de forma literal o fato de que 65% das mulheres que sofrem agressões dentro de casa escondem o ocorrido.

Diferente de seus famosos videos, Lauren surge na câmera com marcas evidentes de agressão, como olho roxo e cortes pelo rosto. Apesar de não revelar do que se trata, ela prossegue com sua video aula que, desta vez, ensinará como esconder machucados e aparentar saúde plena.

No fim a mulher se surpreende com um barulho vindo de outro cômodo e desliga a câmera rapidamente, demonstrando medo. O video se encerra com a orientação: “Não se cubra.”

A criação é da BBH.

Um sopro de esperança para crianças refugiadas

Você conhece a Birmânia? Este país, também conhecido como Myanmar – ou Burma, em inglês – está localizado ao sul da Ásia, logo abaixo da China. A Birmânia está sobre uma ditadura militar há mais de cinquenta anos, forçando mais de meio milhão de pessoas a procurarem refúgio em outros países.

Na maioria dos casos, o único motivo de esperança para as famílias que vêm sendo mutiladas na junta militar, é atravessar os 20 metros de fronteira que separam o país da cidade Mae Sot, na Tailândia.

E foi justamente Mae Sot o destino escolhido pela ONG Colabora Birmania – grupo de voluntários que luta contra a injustiça e o sofrimento dos refugiados da Birmânia – como local de trabalho.

O video acima reúne imagens feitas pela equipe em sua viagem para conhecer os refugiados, em especial as crianças, que precisam se contentar apenas com a imaginação na hora de brincar.

A ideia da ONG era pedir às crianças – que nunca tiveram contato com a tecnologia – que os ajudassem a desenvolver um aplicativo para celular que ajudasse a melhorar a situação de vida deles.

O resultado de tanta imaginação é composto por estrelas que caem do céu em forma de agradecimento; espécies marinhas de massinha; botões feitos com terra de diversas cores; e sons – as crianças se envolveram tanto que escolheram, inclusive, a melhor música para compor o video. Imaginaram que teríam uniformes e materiais escolares; um novo ônibus escolar; e a melhor escola.

No fim a ONG tornou o aplicativo real, e convida você para fazer a sua parte nessa ação. Para isso, basta fazer o download do aplicativo e escolher um dos projetos existentes, ajudando na arrecadação da verba necessária para realizar o sonho de todas estas crianças.

A criação é da Btob.