A dificuldade em identificar um pedófilo

Notícias a respeito de podofilia são cada vez mais comuns hoje dia. Atribui-se a isso o fato de que a internet e as redes sociais vêm crescendo tão rápido, que as orientações de segurança não acompanham o ritmo.

Para orientar os pais a respeito desta falta de proteção, e ajudar a ensinar seus filhos a se protegerem, a ONG americana Blue Sky Bridge – que visa a prevenção e intervenção no combate contra abuso infantil – divulgou um curto video onde um homem aparece dando um depoimento para as crianças.

O video começa com um homem dizendo o quanto é prazeroso construir modelos de foguete. A câmera vai se movendo, ampliando a cena, enquanto o homem continua dizendo que adora passar um tempo ajudando as crianças a construírem seus próprios foguetes. Quanto tudo parece ser uma conversa agradável para as crianças, a câmera revela o ambiente de um presídio, e o homem encerra o depoimento: “Não é fácil identificar um pedófilo. Você acabou de passar 20 segundos ouvindo um.”

Em seguida, surge a orientação dada pela instituição: “Para aprender a proteger seus filhos contra abuso sexual, visite o site”. A criação é da TDA.

A obscuridade da violência doméstica

Infelizmente a violência doméstica, principalmente agressões contra as mulheres, ainda ocorrem em grande número. E não é nada incomum ouvir diversas desculpas por parte das próprias vítimas justificando os machucados evidentes.

Para retratar este receio das mulheres em denunciar os próprios maridos, namorados ou parentes, por se sentirem ameaçadas, a instituição húngara NANE – que luta pelo fim da violência contra a mulher – resolveu lançar uma campanha com tom irônico a respeito dos machucados evidentes.

O video começa com depoimento de mulheres, visivelmente machucadas, dizendo como a própria casa pode ser perigosa. Em seguida, algumas cenas cômicas, e inusitadas, de acidentes domésticos passam a acontecer. No fim, todas acabam se entregando inconscientemente ao prosseguirem com as explicações, quando surge o texto final: “Reconheça a violência doméstica em seu ambiente. Enxergue através de desculpas, não deixe sua consciência dormir.”

Balança compara tempo de vida entre pessoas e materiais

Quantas vezes você já ouviu falar no tempo necessário para a decomposição completa de diversos materias produzidos pelo homem na natureza? É incrível como pequenos objetos tão comuns levam tantos anos para desaparecerem de vez.

De uma maneira diferente, a agência Lew’Lara/TBWA resolveu ilustrar o tempo de vida de materiais como sacolas plásticas, garrafas de vidro e embalagens de plástico, comparando com o tempo de vida de ambientalistas, ecologistas e pessoas que lutaram pelo bem da natureza.

Estas pessoas (Dorothy Stang; Jacques Cousteau; e Wangari Maathai) carregam histórias ricas em fatos que envolvem suas lutas pela conservação do meio ambiente, e tudo isto é colocado sobre uma balança. O interessante é perceber que apenas uma embalagem de pástico ou vidro pesa mais do que uma pessoa que dedicou sua vida a causas humanistas e/ou ecológicas.

A campanha, intitulada Balança, rendeu prata e bronze para a agência na última edição do Cannes, e assina: “É injusto. Recicle. Doe seu lixo. Faça alguma coisa.”

Ser diferente é normal: integrando portadores de Down na sociedade

No dia 21 de março é celebrado o Dia Mundial da Síndrome de Down – clique aqui para ver o post que fizemos sobre o assunto no dia – e, para celebrar esta data, e passar a mensagem de que um indivíduo com Síndrome de Down é capaz de levar uma vida normal como qualquer outra pessoa, a empresa italiana CoorDown Onlus recriou campanhas de grandes empresas de uma maneira diferente.

Premiado com 7 leões de ouro em Cannes, a Coordenação Nacional das Associações das Pessoas com Síndrome de DownCoorDown Onlus – teve a ideia brilhante de buscar grandes empresas e, em comum acordo, substituir os atores de suas campanhas originais por pessoas com a síndrome, veiculando as novas peças no Dia Mundial da Síndrome de Down.

Mais do que divulgar a ideia de que se tratam de pessoas normais, o video-case acima revela como a integração, e interação, entre os portadores da síndrome, e aqueles que não a possuem, funcionam perfeitamente.

Empresas como Toyota, Pampers e Carrefour fizeram parte da ação, substituindo seus atores tanto em campanhas impressas quanto filmes publicitários. Além disso, no dia 21 de março, pessoas com a síndrome substituíram apresentadores em programas famosos na TV italiana.

Todas as campanhas e participações televisivas podem ser vistas no site da CoorDown, e a criação é da Saatchi & Saatchi.

O que um fumante responde quando uma criança pede o isqueiro emprestado?

Parar de fumar parece fácil para os outros. Se você é fumante e já tentou parar de fumar, sabe o quanto é difícil. Se você é um ex-fumante, sabe que é possível. Agora, se você é um fumante que nunca pensou em parar de fumar, você precisa assistir a campanha abaixo.

A campanha Smoking Kid, lançada pela Thai Health Foundation – fundação tailandesa em prol da saúde no país – mostra a verdadeira reação de fumantes quando uma criança pede o isqueiro emprestado.

O resultado é interessante. Embora todas as pessoas interrogadas pelas crianças fumassem, nenhum se propôs a emprestar o isqueiro. Além disso, muitos deram conselhos, ressaltando os malefícios do cigarro. Como resposta, obtiveram da criança a seguinte pergunta: “Então porque você fuma?”

A criação é da Ogilvy.