A desertificação e o número absurdo de espécies destruídas

A desertificação é um problema sério, e afeta o mundo todo. É o fenômeno que corresponde à transformação de uma área viva num deserto, e pode ocorrer tanto por variações climáticas, quanto por atividades humanas.

Justamente por acontecer com maior frequência devido a ações do homem, a WWF resolveu divulgar anúncios que ilustram esta transformação e o impacto da desertificação nos animais.

Sempre com anúncios minimalistas, porém muito bem feitos, a WWF criou uma montagem perfeita, onde os animais estão se “desmanchando” e virando areia. A ideia transmitida é de que os animais acabam morrendo junto com o habitat, virando pó e ajudando a compor o cenário destruído.

A criação, da Contrapunto BBDO, finaliza com o texto informativo: “Desertificação destrói 6.000 espécies todo ano”. O número é chocante, e nos faz (ou deveria) respeitar a natureza e pensar no seu futuro, e de suas espécies que ali vivem.

Cães assistentes que reúnem o útil ao agradável

A Mobility Assistance Dogs Trust é um fundo de caridade que ajuda na reabilitação de pessoas com deficiências físicas, com auxílio de cães treinados. O objetivo da fundação é aprimorar a independência, confiança e auto-estima de pessoas que possuem algum tipo de deficiência física, aumentando suas participações e contribuições em toda Nova Zelândia, como um cidadão comum.

Para divulgar o trabalho, agregar colaboradores e, de quebra, divulgar sua fan page no Facebook, a Mobility Dogs resolveu publicar um video em forma de viral. São apenas 8 segundos que despertam a curiosidade de quem assiste.

A ação mostra uma carro comum, mas com um rabo de cachorro enfeitando o limpador do vidro traseiro. Ao ligar o limpador, o efeito percebido se assemelha ao balançar do rabo de um cão quando está feliz. O pára-choque contém a mensagem e o convite para virar fã na página do Facebook, e conhecer a fundação.

Criação da WHYBIN\TBWA.

Alzheimer é uma doença séria. Fique atento aos sintomas

Para conscientizar as pessoas sobre o Alzheimer e seus sintomas, a fundação pública britânica NHS (National Health Service – Serviço Nacional de Saúde, traduzindo) veiculou uma campanha que ilustra pequenos fatos que podem servir para identificar o surgimento da doença.

Os anúncios impressos diferem nos títulos, mas utilizam o mesmo texto: “Muitas pessoas sofrem de perda de memória quando se tornam idosos. Porém, esquecer acontecimentos recentes podem confirmar os primeiros estágios da demência. Diagnosticar os sinais com antecedência favorece no tratamento, e acompanhamento, corretos. Além disso, ajuda a manter a pessoa que você ama por perto, por mais tempo.”

A assinatura em ambos os anúncios também é a mesma: “Demência. Se você está preocupado, consulte um médico”. Enquanto isso, as imagens foram montadas de forma que represente uma memória que está se perdendo.

A criação é da DLKWLowe.

Não aceite convite de estranhos na vida real

Já mostramos aqui de uma campanha global da Red Cross (Cruz Vermelha). Desta vez, a Red Cross da Polônia lançou uma campanha voltada ao público jovem, para falar sobre AIDS e como é fácil se contaminar.

Como base para a comunicação, a campanha retrata funções básicas do Facebook, como adicionar uma pessoa, para atingir a linguagem jovem. O video passa a mensagem de que a vida real não é igual ao Facebook, e sugere: “Não aceite convites de estranhos.”

A criação é da Saatchi & Saatchi.

Denuncie a violência doméstica e não deixe que continue disfarçada

Amanhã, 25 de novembro, é o dia internacional de luta contra a violência à mulher. Para incentivar as mulheres francesas a denunciar violências domésticas, a FNSF (Fédération Nationale Solidarité Femmes – Federação Nacional de Solidariedade da Mulher, traduzindo) está divulgando a campanha Violência Escondida.

Os anúncios, criados pela W Atjust, ilustram homem comuns que possuem um aspecto diferente apenas nas mãos. As famosas lâminas de Freddy Krueger, as garras peludas de um lobisomem, e até mesmo a mão verde do Incrível Hulk, foram utilizadas para ilustrar esta violência “disfarçada”.

O texto que acompanha o anúncio convoca o leitor: “Vamos denunciar a violência escondida”, e assina oferecendo um número para efetuar suas denúncias na França.