Experimento Assento Incômodo gera polêmica na Cidade do México

 

Milhares de mulheres no mundo todo sofrem ou já sofreram algum tipo de abuso sexual nos transportes públicos e o metrô da capital mexicana tem uma reputação ruim quanto às condições a que suas passageiras são submetidas. Em 2014, uma pesquisa da empresa YouGov sobre assédio no transporte público em todo o mundo trouxe o metrô da Cidade do México como o pior em termos de assédio verbal e físico.

Para mudar esse cenário, a Companhia de Metrô da cidade teve a ideia de mostrar como é “sentir na pele” esse problema e criou a campanha #NoEsDeHombres. Instalou um assento que simula o corpo de um homem, com um pênis, em um assento que só podem ser ocupado por homens. O experimento, realizado pela Companhia de Metrô, foi gravado em vídeo. Segundo um dos vídeos, 9 entre 10 mulheres já foram assediadas sexualmente nos ônibus ou trens metropolitanos da Cidade do México.

Um vídeo viral foi feito para demonstrar a reação dos homens, que estranharam o assento e se recusavam a sentar. Alguns tentaram cobrir o assento para sentar, porém logo se incomodavam e se levantaram. No chão uma mensagem que explicava parte do objetivo da campanha: “É incomodo viajar dessa maneira, mas nem se compara com a violência sexual que as mulheres sofrem em seus trajetos diários”.

Confira o vídeo:

Em uma outra ação, da mesma campanha, eles usaram uma câmera para filmar os glúteos dos homens, que esperavam os trens do metrô na plataforma, e passavam as imagens nos monitores da estação.

Também foi feito um vídeo viral, onde mostra o constrangimento dos passageiros, e no final a mensagem da campanha: “Isso é o que as mulheres sofrem todos os dias”. Confira:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *